Biografia

Escombros, Joclécio Azevedo 2015. ©Susana Neves/TNSJ

Joclécio Azevedo

Brasil, 1969. Vive no Porto desde 1990. A sua prática artística cruza diferentes interesses como coreografia, performance, escrita, som e dramaturgia, desdobrando-se na procura de diferentes princípios de colaboração, articulação e produção de projetos. Os seus processos de criação funcionam como laboratórios onde são analisados métodos de trabalho, gestos cotidianos e rituais de pesquisa. Foi diretor artístico do Núcleo de Experimentação Coreográfica entre 2006 e 2011. É membro da direção plenária da GDA (Cooperativa de Gestão dos Direitos dos Artistas), desde 2008 e do Conselho de Curadores da Fundação GDA desde 2010. Artista residente da Circular Associação Cultural a partir de 2012, tendo assumido a coordenação do programa educativo da associação a partir de 2018. Organiza seminários e participa regularmente como formador em diversos programas e instituições como o FAICC – Formação avançada em interpretação e criação coreográfica, da Companhia Instável, a Oficina ZERO (no Conservatório de Dança do Vale do Sousa) ou o Balleteatro Escola Profissional. Em 2016 trabalhou como assistente convidado no Curso de Especialização em Performance na FBAUP. Colabora, desde 2016, com o grupo Sintoma – Performance, Investigação e Experimentação, orientado por Rita Castro Neves e desenvolvido pelo i2ADS Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Participou em trabalhos de diversos criadores ligados às artes plásticas ou performativas, como por exemplo Miguel Pereira, Isabelle Schad, Joshua Sofaer, Cildo Meireles, Tino Seghal, Peter Bebjak/Juraj Korec, Jean-Marc Heim, Ronit Ziv, Gary Stevens, Simone Forti, André Guedes, E. M. de Melo e Castro, Joana Providência, João Paulo Seara Cardoso, Ana Figueira, Isabel Barros e Né Barros. Alguns dos seus processos artísticos estão documentados em publicações como ” Cuidados Intensivos – programa de encontros, performances e exposições” (2013), “Intermitências” (2016) e “Documentário” (2018).

Foto: Escombros 2015. © Susana Neves