Alexandria (fragmentos) – 2011

Performance sonora a partir da edição e manipulação de instrumentos produzidos com materiais domésticos transformados e amplificados. A composição utiliza reproduções de fragmentos sonoros encontrados em documentários, vídeos turísticos e institucionais recolhidos na internet, à procura do imaginário da Alexandria e da sua biblioteca. A cidade surge como um fantasma, como um símbolo da civilização e da luta pelo poder. A performance transfigura-se numa espécie de banda sonora low-tech, uma ficção que agrega retalhos de outras ficções. Não tendo formação musical, a base de composição deste trabalho é intuitiva, sem ambições narrativas e focalizada na plasticidade do som e no seu potencial poético.

Criação e interpretação: Joclécio Azevedo

Agradecimentos: CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória, Biblioteca Central da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Espaço Ilimitado – Núcleo de Difusão Cultural, Instituto Antimatéria.