Apesar das evidências – 2003

Apesar das evidências, 2003, Joclécio Azevedo ©Alberto Magno

A história do corpo não vem apenas contar aquilo que o corpo pode ser, mas acima de tudo as formas sob as quais tem sido exposto e mostrado. Qual é a diferença entre o meu corpo e a imagem dele?

Joclécio Azevedo, coreógrafo radicado no Porto, criou uma breve odisseia em redor das questões da exposição, na qual coloca o seu corpo ao serviço de uma multiplicidade de funções referentes à especificidade de diversos dispositivos e diferentes media.

Colocando-se numa paisagem low-fi, Joclécio Azevedo despe o nosso entendimento do corpo para organizar uma complexa cirurgia em tempo real, examina-a e livra-se do refugo. O teatro enquanto espaço de vigilância, asilo e arquitectura de imagem. (Extracto do programa do CAPITALS – Encontros Acarte 2003)

“Apesar das evidências” constitui uma reflexão sobre a matéria/corpo do performer e sua relação com a imagem. O corpo como não-evidência, como obra constante e cirurgicamente dissecada e reconstruída. Um jogo de ocultação e revelação atravessa diferentes suportes de representação onde o performer oscila entre o Narciso e o Idiota. Joclécio Azevedo

“Apesar das evidências” poderia muito bem ser “apesar do observador”. As evidências traduzem este funcionamento subjectivo que procura ligar os fragmentos cada vez mais dissonantes de um Real ténue, traduzido até a exaustão em imagem. Um processo de “hibridação” com os objectos, com a imagem, com a carne, com a comida… mas o mais importante é que esta performance é ampliada pelo dispositivo cinemático… a operação esvazia-se em imagem. Espectacular, cinematográfica… tal como os filmes que nos traduzem o real. Helder Dias

Concepção e interpretação: Joclécio Azevedo | Colaboração: Hélder Dias e Susana Jaques | Som Sérgio Cruz | Colaboração Musical Filipe Galante
Co-produção Culturporto/Rivoli Teatro Municipal – Núcleo de Experimentação Coreográfica
Apoio: Universidade Católica do Porto.

Fotos: ©Alberto Magno/©Jorge Gonçalves