Cuidados Intensivos – 2013

Cuidados Intensivos foi um programa de encontros, performances e exposições criado em Vila do Conde integrando o projecto Artista Residente da Circular Associação Cultural. O programa teve a duração de um ano, utilizando diversos formatos de colaboração, funcionando como um permanente trabalho em progresso e permitindo a concretização de intervenções práticas realizadas no contexto local da cidade.

Este programa surge de um trabalho de indagação sobre partes menos visíveis da actividade artística, como forma de chamar atenção para todo um conjunto de evidências materiais que gravitam à volta da acção performativa e que acabam por constituir importantes indicadores de acesso às partes mais desconhecidas do pensamento e da acção dos artistas.

A questão fundamental seria interrogar, a partir do que pudéssemos considerar como “documentável” na prática artística, a importância que poderia eventualmente adquirir a produção ou preservação de “documentos” de outra ordem, não apenas circunscritos à utilização da imagem ou da escrita nas suas formas mais usuais. Outra questão a surgir neste processo seria pensar se cada artista não carregaria também na sua própria memória uma espécie de arquivo vivo da sua experiência humana, que se estenderia e ramificaria nas relações que estabelecesse com os seus instrumentos de trabalho, com aquilo que guarda, que preserva, independente desses instrumentos, ou extensões, ou fragmentos de experiência,  poderem eventualmente pertencer ou não ao mundo da arte.

Numa primeira fase, entre Março e Julho, foram realizamos 3 exposições e 6 encontros com artistas convidados. Começamos por ocupar e reactivar provisoriamente uma loja fechada, um antigo talho na Rua do Lidador para acolher a exposição “Biblioteca Flutuante”. O espaço foi preenchido por livros utilizados em processos criativos, livros em torno de processos criativos, artes performativas, outras disciplinas. Foram reunidos livros usados e colocados à disposição para serem manuseados pelos visitantes . A segunda exposição, “Depósito de artefactos performativos”, aconteceu no Centro de Memória. Aqui o espaço foi  preenchido por objectos diversificados, vestígios de produções coreográficas e performativas. Numa espécie de local arqueológico caótico, foram expostos objectos, mobiliário, pequenos adereços, artefactos construídos para serem manipulados, objectos que serviram para ajudar a pensar.No mesmo local, entre Junho e Julho, foi realizada a exposição “Partituras, notações e anotações”. Nesta exposição o objectivo foi reunir reproduções de partituras coreográficas e performativas, notas de cadernos de criação, esquemas de improvisação, listas de instruções.

Cuidados Intensivos, programa de encontros, performances e exposições

Concepção e coordenação: Joclécio Azevedo

Convidados: Andreas Dyrdal, António Júlio, Flávio Rodrigues, Joana Providência, Miguel Pipa, Né Barros, Paulo Mendes, Pedro Augusto/Ghuna X, Rogério Nuno Costa, Susana Chiocca, Teresa Prima, Vera Santos e Victor Hugo Pontes

Observadores: Cristina Grande e Helder Dias | Apoio técnico às exposições: Susana Medina | Design gráfico: João Alves Marrucho | Fotografia: Margarida Ribeiro | Vídeo: Insónia Audiovisual

Agradecimentos: Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Curtas Metragens CRL, Dina Agante, Laura Garrido, Luís Miguel Costa, Manuela Cunha, Ricardo Alves, Ricardo Medina, Tomás Rede

Produção: Circular Associação Cultural

Cuidados Intensivos: Tempo e fricção

Curadoria: Joclécio Azevedo

Artistas: Ghuna X, Joclécio Azevedo, Paulo Mendes + Maria Trabulo, Rogério Nuno Costa, António Lago & Susana Chiocca

Co-produção: Circular Associação Cultural, Curtas Metragens CRL, Solar Galeria de Arte Cinemática | Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian, Insónia Audiovisual