Monsterpiece – 2002

Monsterpiece, 2002, Joclécio Azevedo ©Susana Neves

Em “Monsterpiece” diferentes processos de identificação e diferenciação são ensaiados colocando em confronto corpo e objeto, corpo e paisagem, linguagem falada e linguagem escrita. Cada elemento em cena dialoga com a identidade do objecto espetáculo, colocando em evidência não apenas aquilo que é mostrado enquanto material cénico, mas a forma como cada coisa é exposta e participa numa ecologia de cena. Cada objeto utilizado transforma-se em suporte para a mutação do corpo/casa, anatomicamente corrigido e esterilizado. A peça cria um jogo disfuncional de linguagens onde o corpo cénico é assumido como espaço de intervenção e o discurso é estruturado como uma espécie de corpo paralelo. O monstro reside no interior do corpo aberto a todas as representações possíveis numa infindável cartografia. A linguagem torna-se monstro, desfigurando-se através das imagens que sugere. O palco torna-se um lugar de exposição de monstruosidades, de fragmentos de discurso, de jogos de palavras, de danças estranhas.

Coreografia e interpretação: Joclécio Azevedo | Colaboração: Helder Dias e Susana Jaques | Direção técnica: Sonia Esteban | Residência coreográfica: CENTA | Co-produção: Núcleo de Experimentação Coreográfica e Festival Internacional de Marionetas do Porto

Fotos: Monsterpiece, 2002©Susana Neves