O que já não é e o que nunca foi-2020

Este trabalho organiza-se a partir de rituais de pesquisa em torno do tempo, da sua ocupação, suspensão e condensação. Reunidos numa lógica de acumulação, em cena encontram-se objetos reaproveitados, tecnologia low-fi, dispositivos de amplificação e gravações recolhidas aleatoriamente durante o processo. A partir deste ambiente os intérpretes produzem um mosaico de ações, configurando espaços físicos e mentais que convocam os efeitos da lentidão, da velocidade, da repetição, da continuidade, da descontinuidade, da medição ou mesmo do esquecimento do tempo. O tecido coreográfico e sonoro produzido é atravessado também por fragmentos de memórias partilhadas, submetidas a processos de transformação e de desgaste.

Direção artística e coreografia: Joclécio Azevedo

Música e interpretação: Xavier Paes

Interpretação: Gustavo Monteiro, Joclécio Azevedo

Figurinos: João Pedro Estelita Mendonça

Desenho de luz e operação: Cárin Geada

Produção executiva: Sofia Reis

Coprodução: Festival Internacional de Marionetas dos Porto e Circular Associação Cultural

Apoio à residência artística: Teatro de Ferro e Companhia Instável

Fotos: Susana Neves