Observatório de observadores – 2016

Módulo de movimento e apresentação informal inseridos no projecto Universo283, projeto artístico de intervenção social concebido pela companhia Mala Voadora, em parceria com a Escola de Comércio do Porto, e a A3S – Associação para o Empreendedorismo Social e a Sustentabilidade do Terceiro Sector. Universo283 integrou 26 alunos de uma turma do 10.º ano de escolaridade e foi apoiado pelo programa PARTIS – Práticas artísticas para a inclusão social, da Fundação Calouste Gulbenkian.

Observatório de observadores

Esta etapa de trabalho (Abril e Maio de 2016) integra o projecto “UNIVERSO 283” e incide na oscilação constante entre o papel do observador e o papel do observado, desafiando o grupo de participantes a colocar-se, pela primeira vez, numa situação de apresentação conjunta. A transposição do corpo dos participantes para o universo do dispositivo de apresentação (espaço cénico, espaço de concentração da atenção, amplificação da voz, iluminação, relação com imagens gravadas difundidas pela internet) opera em si uma deslocação de papéis que põe em evidência configurações de relações dentro do grupo, gerando tensões que tentamos compreender e utilizar como motores para a acção. Introduz-se aqui uma ideia de coreografia que desenha-se de uma forma subtil, manifestando-se em 3 diferentes situações:

Na primeira parte observamos um jogo com bolas e nomes, um jogo rítmico e sonoro que serve como apresentação dos participantes e como convocatória à ocupação do espaço cénico.

Na segunda parte introduzimos um jogo de perguntas, um dispositivo simples que permite trazer a um espaço comum elementos da vida de cada um, das suas referências e das suas expectativas em relação ao mundo.

Na terceira e última parte construímos uma “partitura” de imagens com as quais o grupo dialoga em cena. Na sua maioria são vídeos de “aulas” disponíveis na internet sobre as mais diferentes técnicas físicas, como por exemplo o Yoga facial, a percussão com o corpo ou massagens preparatórias para músicos. Estas imagens técnicas misturam-se com outras imagens ligadas ao cinema ou à dança contemporânea. Desta sobreposição de imagens surge uma coreografia imprecisa que é simultaneamente momento de aprendizagem (em processo) e de apresentação (em construção).

Joclécio Azevedo

Mala Voadora