Poltergeist, 2013, Joclécio Azevedo©Susana Neves/TNSJ

Poltergeist – 2013

Poltergeist é uma palavra associada a perturbações de origem sobrenatural que de forma geral envolvem ruídos e deslocações misteriosas de objectos (do Alemão “polter”: ruído e “geist”: fantasma). O projeto Poltergeist evoca fenómenos estranhos e diferentes tipos de relação entre espaço, corpo e ruído, produzindo uma situação performativa que é simultaneamente um objeto coreográfico, escultórico e sonoro. O corpo como elemento de transição entre espiritualidade e materialidade aparece aqui através da combinação de abordagens pseudo científicas, especulativas e de construções ficcionais. A primeira parte deste trabalho toma a forma de uma conferência, onde são apresentadas diferentes manifestações do fenómeno Poltergeist, seja através documentações fotográficas de médiuns durante sessões de materialização/incorporação desde o início do século XX, de reportagens televisivas, ou de apropriações do tema em obras de ficção, como por exemplo o filme “POLTEGEIST”, escrito por Steven Spielberg e dirigido por Tobe Hope, em 1982. Numa segunda parte propõe-se ao performer a experiência de “arranhar” a superfície de uma tela, entendida enquanto lugar de transição, criando um enquadramento visual e sonoro para acolher alucinações auditivas. Desde a instrumentalização da tecnologia como mecanismo de recriação de convicções à simples possibilidade de falsificação da experiência, este trabalho explora a crença nas imagens, o seu poder de sedução e de sugestão, as ficções em torno da manifestação de outros planos de existência e o papel do corpo como intermediário, produtor e veículo do imaginário.

Criação e interpretação: Joclécio Azevedo

Produção executiva: A Circular Associação Cultural

Fotos: ©Susana Neves/TNSJ