Em resumo – 2004

Um corpo subjugado e domesticado pelos esquemas de produção da sua imagem. Um corpo resíduo de uma cultura tratada industrialmente, em feroz e contínua reprodução. Um corpo histórico, educado e submetido a rotinas. Um contentor hermeticamente selado e destinado ao transporte e comercialização. Um corpo sem manual de instruções. Um corpo codificado e coisificado pela especificidade do seu uso.

Os corpos em cena oscilam entre categorias de forças produtivas e de presenças fantasmáticas, como aquelas que representam o desejo ausente nos filmes pornográficos. No fundo cada corpo é um compartimento vazio num tumultuoso mercado de arrendamento. O espetáculo é um edifício feito de ossos.

Concepção e direcção artística: Joclécio Azevedo| Intérpretes: Joclécio Azevedo, Luís Félix e Teresa Prima | Sonoplastia: Sérgio Cruz | Colaboração: Helder Dias e Susana Jaques | Registo vídeo e edição: Eva Ângelo | Co-produção: Núcleo de Experimentação coreográfica, Culturporto/Rivoli Teatro Municipal e O Espaço do Tempo

Apoios: Ministério da Cultura/Instituto das Artes, Universidade Católica do Porto, Circular Festival de Artes Performativas, Festival X

Fotos: ©Susana Neves